Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Principessa

lifestyle blog por sofia

Sab | 15.04.17

Mula, vamos tomar um chá? - 2ª edição

Sofia Silva

Mula, vamos tomar um chá? - 2ª edição

 

Esta entrevista fez-me relembrar o chá que tomei com a Mula à uns meses atrás, ainda se lembram? Vamos lá conhecer melhor esta blogger que nos acompanha no dia-a-dia:

 

1. Quem é a Mula?

A Mula é o reflexo da pessoa que se esconde atrás do seu nome, mais do que um alter-ego é uma imagem fidedigna da pessoa que diariamente por cá escreve. Eu sou muito teimosa, orgulhosa e até um bocado exagerada, mas sou acima de tudo uma sonhadora e apesar de nem sempre parecer, otimista. Sou alguém que agarra cada projeto com paixão e que dou sempre o meu melhor em tudo o que me envolvo. No fundo, a Mula é exatamente - ainda que não só – aquilo que escreve.

 

2. Quais os temas que mais gostas de abordar no teu blog?

Adoro escrever sobre as situações do dia-a-dia porque são as publicações mais espontâneas. Ainda que adore falar sobre viagens, sobre livros – ou seja, adoro falar sobre tudo, porque se há coisa que não faço no meu blog são fretes – a verdade é que são publicações mais trabalhosas, exigem memória, exigem tratamento de fotografias, exige outro tipo de rigor, enquanto que quando falo sobre mim, sobre o que me vai na alma e no coração, escrevo sem pensar, escrevo apenas o que sinto. Uma vez escrevi um poema sobre a minha forma de escrever onde dizia “Não escrevo com a cabeça. Escrevo com o coração. Não sei se uso metáforas, retóricas ou aliteração” e expressa muito bem a forma como eu escrevo.

 

3. Se pudesses escolher um post para destacar o Desabafos da Mula qual seria e porquê? 

Destaco dois, pode ser? Acho que o post que melhor descreve o que é o meu blog é sem dúvida o Colecionador de Cacos porque também o meu blog é um conjunto de vários cacos, por vezes mais partidos outras vezes mais inteiros, mas sempre pequenas peças que constituem a pessoa que escreve neste blog, que ME constituem. No entanto há um outro post que era impossível não destacar, que é o Isto não são só blogs porque se forem só blogs, então houve um grande equívoco porque apesar de eu escrever para mim e por mim, a verdade é que vale ainda mais a pena quando se tem os melhores seguidores do mundo desse lado, e sejamos sinceros até os cacos se colam melhor quando se tem gente com tanto carinho por nós do outro lado, isto para mim deixou de ser apenas um blog, mas uma pequena grande família virtual.

 

4. O que te levou a criar um blog? 

Sempre que estava mais em baixo criava um blog, assim tive imensos blogs ao longo da minha vida, blogs que duravam um mês… dois meses e pouco mais. Tinha criado um blog de poesia que esteve ativo imensos anos, mas era diferente. Quando em 2015 fui recusada no mestrado que tanto desejava senti que precisava de canalizar as minhas energias na escrita, e pensei: porque não voltar a criar um blog? E assim surgiu o Desabafos da Mula. Apesar de achar que iria durar tanto tempo quantos os outros, a verdade é que desta vez foi totalmente diferente e viciei-me neste mundo, viciei-me na escrita, e assim permaneci entre vós.

 

5. Podes partilhar connosco os blogs que não passas um dia sem visitar? 

Faço por visitar todos os blogs que subscrevo, porque efetivamente subscrevo os blogs por interesse nos mesmos, e não apenas porque me subscreveram ou me comentam, eu subscrevo um blog pelo interesse no que escrevem, pela frequência com que o fazem e pela empatia que crio com o seu autor ou autora, no entanto nem sempre me é possível visitar todos os blogs que gostaria e às vezes, confesso, nem visito nenhum. Muitas vezes parece que estou cá, mas não estou efetivamente. No entanto, quando cá estou de corpo e alma por inteiro gosto de limpar a área de leituras de uma ponta à outra, ainda que nem sempre comente, porque nem sempre me apetece comentar – às vezes também sofro de preguiça dos dedos – ou porque acho que não tenho nada acrescentar, ou simplesmente porque não sei o que dizer.

 

6. Se pudesses convidar qualquer pessoa – viva ou morta – para um jantar, quem seria e porquê? 

Se eu pudesse convidar qualquer pessoa para um jantar, convidaria o Kurt Cobain. Lembro-me perfeitamente quando em adolescente conheci a música dos Nirvana longe de imaginar que nunca os poderia ver ao vivo. Interessei-me tanto e como nunca pelo Kurt Cobain, nem te sei explicar porquê. Eu conhecia a história dele de trás para a frente, pesquisava mais e mais e mais, era um fascínio quase inexplicável por aquele que nunca poderia responder às minhas questões e tantas questões eu tinha, e no fundo ainda tenho e sempre terei e por isso é que sempre que saem novas pistas, novas teorias da conspiração eu lá vou tentar perceber um pouco mais o que aconteceu. Ainda que nunca se chegue a conclusão alguma. Acho que o mundo perdeu um grande músico demasiado cedo e gostaria de lhe dizer isso mesmo. E depois… já se sabe, eu tenho um fascínio por pessoas com histórias destruturais! Acho que passei ao lado de uma brilhante carreira como psicóloga clínica! [risos]

 

7. Qual a pergunta que fazias à minha próxima convidada?

Se o teu blog fosse uma estação do ano, qual seria e porquê?

 

Muito obrigada Mula!

 

Acompanhem as novidades no Facebook e no Instagram

23 comentários

Comentar post