Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LA PRINCIPESSA

lifestyle blog por Sofia & Largad_Anca

24
Mai21

Ser mãe ... uma escolha ou uma obrigação?

largad_anca

Vivemos na era da liberdade. Todos clamam uma liberdade e dizem de peito cheio que são livres. Mas seremos mesmo tão livres como dizemos ser? Somos livres ou usamos a liberdade que a sociedade nos impõe? Alguma vez pararam para pensar nisso? O que é para vocês ser livre?

Desde que nascemos, somos criados a acreditar numa sociedade/ educação judaico-cristã. Esta premissa diz-nos ao longo dos tempos, que as mulheres são princesas ... mas princesas com obrigações. A obrigação da princesa é usar saia rodada, estudar, encontrar o príncipe encantado, casar, ter filhos, dedicar a sua vida à família e conseguir conjugá-la com a carreira. E a carreira, pode até ser algo de pouca importância porque a prioridade tem que ser a familia.

Mas temos todos que ser assim? Claro que não! É, com absoluta certeza, a primeira resposta que vos ocorre. Mas a verdade é que é isso que esperam de nós.

Desde muito cedo tive presente que não me via no papel de mãe. Ao longo dos tempos, e conforme, fui crescendo, ouvi as maiores barbaridades por afirmar que não queria ter filhos. E não são essas barbaridades verdadeiros atentados à nossa liberdade? À liberdade de escolha, ao livre arbítrio? Quantas de nós, pensaram em abdicar daquilo que a natureza lhes concedeu como dádiva, e deixou de o fazer, com medo do julgamento, por ser aquilo que se espera de uma mulher, porque as críticas são tão fortes, que se convenceram que no final de contas era mesmo o melhor da vida?! Atenção, acredito verdadeiramente que seja um amor sem igual. A esta altura, muitos também dirão "tu não entendes, porque não és mãe". É verdade, não sou mãe. E não quero ser. Ao contrário do que muitos pensam, adoro crianças. Ao contrário do que muitos julgam, não sou um ser egoísta com medo de estragar a minha barriga ou outras coisas do mesmo calibre. 

Defendo apenas uma coisa: respeito pelas escolhas dos outros. Eu respeito quem quer ser mãe. Admiro quem abdica de tanta coisa em prol de um outro ser. Acredito de verdade que se fica com o coração fora do peito. Será assim tão dificil respeitar que para algumas de nós, tudo isso é magnifico, mas nos outros?! Será assim tão dificil não julgar as escolhas dos outros/as?!

Serei assim tão egoísta por assumir sem medos que não é um papel que queira ter nesta vida e que isso não faz de mim um monstro?! Será isso mais egoísta do que ter um filho, porque sim, e não lhe dar a atenção que merece. Não será egoísta a perspectiva de ter um filho, com a visão futura de ter quem cuide de nós, numa velhice anunciada? E muitas vezes ouvi isso "não tens medo de não ter quem cuide de ti, na velhice?", como se ter um filho o garantisse. Será mais egoísta assumir que não se quer ou ter porque os outros querem? 

Claro que esta escolha de vida, condiciona muitas outras. Claro que já "perdi" relações com quem achava ser a pessoa da minha vida, por querermos coisas diferentes. Mas acima de tudo, sinto que ganhei. Sinto que me ganhei, por ser fiel ao ser mais importante da minha vida: eu. Compreendo que não posso ter comigo alguém que tem um querer tão diferente do meu... seria, aí sim, egoísta, por querer condicionar a vontade do outro. Não o faço. Mas também não deixo que o façam comigo. Mas também não engano, não iludo, não arrasto. É a minha escolha, aceito que tenha que encará-la sozinha.

Claro que é um tema fraturante da sociedade e, sobretudo, nas relações. Mas a vida é isso: escolhas que fazemos e as suas "consequências". Mas ceder a pressões externas é fraturante daquilo que somos. E no final do dia, o que é mais importante?

Há quem lhe chame egoísmo. 

Eu chamo amor próprio.

 

Um beijinho

27
Jan21

Ser mulher é ser julgada todos os dias

largad_anca

Ser mulher é lixado. A minha questão é ... será que ser mulher nos condena à nascença

Há uns tempos, porque adoro fotografia, e  porque assim quis, publiquei algumas fotos nas redes sociais. Alguns adoraram, outros odiaram, mas esse não é o tema. Todos têm esse direito. Está previsto no direito de liberdade de cada um de nós. Eu própria não gosto de tudo o que vejo, e bem.

Mas queria falar-vos de algo mais sério que isso. Algumas das fotos que publiquei podem ser consideradas provocatórias, para mentes mais "fechadas". Admito que possam ser ousadas. Correspondeu a uma fase da minha vida em que identifiquei com esse tipo de fotografia.

Mas digam-me vocês: se posso usar um bikini na praia, por que razão, publicar uma foto com esse mesmissimo bikini é um ato provocador? Quando vou à praia também estou a provocar? Como quem usa um decote e é violado, estava mesmo a pedi-las?! (não aguento!!!!)

Um homem pode publicar,  usar,  fazer o que bem lhe dá na gana e está tudo bem. Uma mulher, está mesmo a pedir para receber fotos explícitas. Para ser insultada e, pior que isso, para ser julgada, até pelos mais próximos. E esses julgamentos são os que mais doem. Ser livre, mesmo no compromisso, é dificil, para a maioria, de entender. Tal como ser mulher e ter amigos homens, que abraçam, ligam, comentam e valorizam o que somos e o que fazemos, é algo absolutamente incompreensível... inadmitível. Se és comprometida, não podes fazer fotos na tua casa, em que estás de toalha e não se vê nada, e que já fazias, porque estás a falar ao respeito. Os bikinis são bons para a praia, mas não para fotos, as transparências são para peitos pequenos... e por aí adiante. Porque já não és solteira ... porque existem comportamentos apropriados (já dizia o meu avô). Ou porque ser solteira nos faz ter comportamentos inapropriados, como se não nos dessemos ao respeito?!

Somos julgadas porque publicamos uma foto com pouca roupa ...e culpadas pelos comentários que alguns otários, se acham no direito de fazer?! Por que razão, não podemos apenas ser livres de mentalidade e julgamos tanto os outros?! Por que é que no século XXI (gente, SÉCULO XXI), continuamos a acreditar que uma mulher que gosta de si e se diverte com isso, tem menos valor ou é menos respeitável?! Por que é que clamamos por liberdade e igualdade, mas nos procupamos mais com a foto que a outra publicou do que encarar isso como algo que a faz sentir-se bem. Por que é que valorizamos comentários que outros fazem?!

IMG_9991 (1).jpeg

 

E calma, claro que não estou a dizer que somos obrigados a gostar ou concordar. Mas temos mesmo que julgar?! empoderamento feminino, a aceitação, a igualdade (que ainda está a anos luz de existir), continua a ser mal vista. E nem é só pelo homens porque as mulheres são ainda mais cruéis.

Para vocês pode parecer banal, mas eu tenho a certeza que, nem que seja apenas uma pessoa, vai entender aquilo de que falo. A repressão, a agressão, a privação de liberdade tem muitas formas, a maioria dissimuladas e, está muitas vezes, camuflada de amor.

Ser mulher é ser julgada todos os dias ... mas não permitam que esse julgamento vos roube a alma, vos roube a liberdade dentro de vocês e, mais que tudo isso, vos roube a vossa identidade!

 

Um beijinho

Sobre nós

Uma lisboeta com raízes em Trás-os-Montes e na Serra da Estrela, e uma alfacinha de gema com uma costela Ribatejana. Apaixonadas por fotografia, moda, decoração e viagens. Com muitas histórias para contar e opiniões muito distintas, partilhamos realidades comuns a todos nós.
Sejam bem-vindos ao La Principessa por Sofia Silva e Largad_anca

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.