Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LA PRINCIPESSA

lifestyle blog por Sofia & Largad_Anca

24
Mai21

Ser mãe ... uma escolha ou uma obrigação?

largad_anca

Vivemos na era da liberdade. Todos clamam uma liberdade e dizem de peito cheio que são livres. Mas seremos mesmo tão livres como dizemos ser? Somos livres ou usamos a liberdade que a sociedade nos impõe? Alguma vez pararam para pensar nisso? O que é para vocês ser livre?

Desde que nascemos, somos criados a acreditar numa sociedade/ educação judaico-cristã. Esta premissa diz-nos ao longo dos tempos, que as mulheres são princesas ... mas princesas com obrigações. A obrigação da princesa é usar saia rodada, estudar, encontrar o príncipe encantado, casar, ter filhos, dedicar a sua vida à família e conseguir conjugá-la com a carreira. E a carreira, pode até ser algo de pouca importância porque a prioridade tem que ser a familia.

Mas temos todos que ser assim? Claro que não! É, com absoluta certeza, a primeira resposta que vos ocorre. Mas a verdade é que é isso que esperam de nós.

Desde muito cedo tive presente que não me via no papel de mãe. Ao longo dos tempos, e conforme, fui crescendo, ouvi as maiores barbaridades por afirmar que não queria ter filhos. E não são essas barbaridades verdadeiros atentados à nossa liberdade? À liberdade de escolha, ao livre arbítrio? Quantas de nós, pensaram em abdicar daquilo que a natureza lhes concedeu como dádiva, e deixou de o fazer, com medo do julgamento, por ser aquilo que se espera de uma mulher, porque as críticas são tão fortes, que se convenceram que no final de contas era mesmo o melhor da vida?! Atenção, acredito verdadeiramente que seja um amor sem igual. A esta altura, muitos também dirão "tu não entendes, porque não és mãe". É verdade, não sou mãe. E não quero ser. Ao contrário do que muitos pensam, adoro crianças. Ao contrário do que muitos julgam, não sou um ser egoísta com medo de estragar a minha barriga ou outras coisas do mesmo calibre. 

Defendo apenas uma coisa: respeito pelas escolhas dos outros. Eu respeito quem quer ser mãe. Admiro quem abdica de tanta coisa em prol de um outro ser. Acredito de verdade que se fica com o coração fora do peito. Será assim tão dificil respeitar que para algumas de nós, tudo isso é magnifico, mas nos outros?! Será assim tão dificil não julgar as escolhas dos outros/as?!

Serei assim tão egoísta por assumir sem medos que não é um papel que queira ter nesta vida e que isso não faz de mim um monstro?! Será isso mais egoísta do que ter um filho, porque sim, e não lhe dar a atenção que merece. Não será egoísta a perspectiva de ter um filho, com a visão futura de ter quem cuide de nós, numa velhice anunciada? E muitas vezes ouvi isso "não tens medo de não ter quem cuide de ti, na velhice?", como se ter um filho o garantisse. Será mais egoísta assumir que não se quer ou ter porque os outros querem? 

Claro que esta escolha de vida, condiciona muitas outras. Claro que já "perdi" relações com quem achava ser a pessoa da minha vida, por querermos coisas diferentes. Mas acima de tudo, sinto que ganhei. Sinto que me ganhei, por ser fiel ao ser mais importante da minha vida: eu. Compreendo que não posso ter comigo alguém que tem um querer tão diferente do meu... seria, aí sim, egoísta, por querer condicionar a vontade do outro. Não o faço. Mas também não deixo que o façam comigo. Mas também não engano, não iludo, não arrasto. É a minha escolha, aceito que tenha que encará-la sozinha.

Claro que é um tema fraturante da sociedade e, sobretudo, nas relações. Mas a vida é isso: escolhas que fazemos e as suas "consequências". Mas ceder a pressões externas é fraturante daquilo que somos. E no final do dia, o que é mais importante?

Há quem lhe chame egoísmo. 

Eu chamo amor próprio.

 

Um beijinho

09
Ago18

Sou só eu, ou é impressão minha? | o jornalismo às vezes espanta-me

Sofia

O jornalismo em Portugal espanta-me... chego muitas vezes a perguntar-me se estou a ver/ler bem. Hoje deparei-me com uma situação engraçada, para quem me segue nas redes sociais, não é novidade que visito muitas vezes Loriga e, que atualmente, me encontro de férias neste local maravilhoso mas bem, voltando ao que vos quero contar, vi este artigo na revista “Evasões”:

Sou só eu, ou é impressão minha? | o jornalismo às vezes espanta-me

 

No artigo pode ler-se “Cada lugar tem a sua particularidade. A praia fluvial de Loriga é única por ficar num vale glaciário e se encaixar entre montes e pedras. É um pequeno paraíso feito de várias piscinas naturais às quais se juntam algumas infraestruturas como parque infantil, parque de merendas, balneários e bar. A praia é alimentada pela ribeira das Courelas, que nasce no planalto superior da Serra da Estrela e que já forneceu, noutros tempos, energia aos moinhos de água e às rodas das fiações da indústria de lanifícios. A água límpida atrai muitos visitantes nos dias quentes de verão, por isso é possível que não seja fácil encontrar um lugar ao sol neste reduto serrano.

COMO CHEGAR

GPS: Latitude 40.327253; Longitude -7.678467.

COMER

A MARGARIDA

É conhecido pelo joelhinho de porco com arroz de feijão e pelo bacalhau com broa, mas na carta não faltam sabores da serra.

Senhora do Desterro, São Romão (Seia)”

 

Quero fazer 2 ou 3 propostas...

1. Relativamente ao comentário sobre a Praia Fluvial de Loriga estou totalmente de acordo é um local fabuloso;

2. O ponto “Onde comer” deixou-me desapontada, é que falar de Loriga e não falar do restaurante O Vicente - classificado como “N.° 1 de 3 restaurantes em Loriga” no TripAdvisor e a apenas 800m da praia - digamos que é o mesmo que ir a Itália e não comer pizza, além disso acho extraordinário recomendarem um restaurante em São Romão - a 16km de Loriga - não desfazendo o restaurante A Margarida, embora não conheça falaram-me maravilhas dos seus pratos;

Sou só eu, ou é impressão minha? | o jornalismo às vezes espanta-me

 

Ainda ontem lá almocei e deixei o seguinte comentário no TripAdvisor:

“O restaurante Vicente é um ponto de paragem obrigatório para quem procura pratos regionais, as especialidade são o Cabrito no Forno com batata torrada, o Bacalhau à “Fonte Sagrada”, o Bacalhau com Broa e o Polvo à Lagareiro. Recomendo qualquer um!

Hoje decidi pedir grelhada mista, um prato muito bem servido, o aspecto fala por si, estava uma delícia.

O almoço foi acompanhado por um vista belíssima sobre a vila.

O atendimento foi muito bom, 5 estrelas, sem dúvida alguma!

A apenas 800 metros da Praia Fluvial de Loriga com bandeira azul e dourada, uma praia com águas cristalinas no meio da Serra.” em tudo foi sincero, quem conhece o restaurante sabe do que falo.

Sou só eu, ou é impressão minha? | o jornalismo às vezes espanta-me

3. Uma fotografia da Praia Fluvial de Loriga era favorável, uma ponte e ervas em nada tem a ver, deixo-vos a foto que tirei por lá esta semana:

Sou só eu, ou é impressão minha? | o jornalismo às vezes espanta-me

 

As diferenças são algumas, não acham? De uma ponte sem graça para um sítio belíssimo mesmo no meio da Serra.

 

Um beijinho

Sobre nós

Uma lisboeta com raízes em Trás-os-Montes e na Serra da Estrela, e uma alfacinha de gema com uma costela Ribatejana. Apaixonadas por fotografia, moda, decoração e viagens. Com muitas histórias para contar e opiniões muito distintas, partilhamos realidades comuns a todos nós.
Sejam bem-vindos ao La Principessa por Sofia Silva e Largad_anca

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.